Roubo de Carros e Pátios dos detrans – Um caos que começa na impunidade, passa pelo descaso e termina no caos.

Deltahes uno HFC7257

Uno roubado em 04-11-2009. Até hoje, nem sinal dele….

Quem já teve algo roubado, ou principalmente, um veículo furtado/roubado, sabe do que eu irei falar aqui.

A cena é a seguinte: Você, com seu veículo, comprado com suor, as vezes com prestações a pagar, estaciona seu carro em um local, e quando volta, tem o dessabor de não ver o carro no lugar onde o deixou estacionado. Podem haver várias situações. No meu caso, a “queda em sí”  foi até rápida, já saquei o celular do bolso para fazer o comunicado de ocorrência do roubo a polícia, mas em alguns casos, a pessoa leva alguns minutos para entender que sim, ela foi vítima de um roubo de carro. Pode ser que tenha seguro, pode ser que não fez um seguro por falta de tempo/dinheiro (meu caso), e já de cara, você tem o dessabor de ter que passar horas na delegacia para fazer uma ocorrência e tem ainda que voltar pra casa à pé.

Os dados são alarmantes: No Brasil, cerca de 6,3% dos veículos segurados são furtados segundo pesquisa da Correcta Seguros, e o fator é maior se incluirmos os veículos não segurados. Em média, podemos dizer que 1 em cada 10 veículos será roubado um dia. Ironicamente, no momento que eu escrevo este post, meu amigo me manda mensagem dizendo que o carro dele foi arrombado, deixo aqui registrado como exemplo prático de que não é tão incomum assim a ocorrência de furtos e roubos de veículos (obs. Furto é diferente de roubo, o furto é o que é feito à mão armada, roubo é o que o ladrão leva quando a pessoa  não está por perto).

Mas, como  já existem vários sites falando sobre o assunto, e pensando que é melhor postar idéias para melhorar o sistema a chorar a perda, comentarei apenas as perguntas que ficam sem resposta por mim, desde que tive o desprazer de ter um veículo roubado:

1) Porque existe, na ocorrência, um item que pergunta se o carro tinha seguro ou não? Todos os carros roubados, segurados ou não, não deveriam ter o mesmo tratamento perante os órgãos de segurança?

2) Como pode um carro, um bem de tamanho “considerável”, ser dificilmente encontrado pelos policiais?

3) Como podem haver desmanche clandestino? O simples fato de um desmanche não ter alvará já não é crime por sí só?

4) Porque não existe um banco de dados dos veículos apreendidos nos diversos pátios espalhados pelo Brasil? Até existem iniciativas assim, aqui em Minas Gerais e no Rio de Janeiro existe o “Patio Seguro”, com um banco de dados próprio, mas somente atendem à regiões metropolitanas. Se os pátios são gerenciados pela polícia, e existe o site da polícia rodoviária federal, este poderia ser o mecanismo de unificação dos registros…

É sabido de todos que existem diversas máfias quando o assunto é “carro”. Considerando que no Brasil ninguém exige nota fiscal, ninguém se importa com a procedência do produto, que “preço é tudo” e que nossos oficiais de polícia tem uma remuneração que incentiva o seu corrompimento, temos então um cenário propício à criminalidade, onde quem perde sempre é o cara honesto.

Mas, em meio a tantos interesses, algumas idéias que tive poderiam pelo menos amenizar a situação, o que poderia também resolver alguns problemas do estado bem como colaborar c0m as pessoas honestas que foram prejudicadas com roubos. Eis umas idéias que acredito serem de comum interesse do estado e de nós, cidadãos, que tivemos nossos bens furtados:

1) Criação de um banco de dados nacional para veículos apreendidos e em pátios, contendo placa, chassis, dados de placa do motor, local e data de entrada do veículo. Uma taxa única poderia ser cobrada de quem quer ter acesso a este banco de dados, sendo que esta taxa é que iria manter o banco de dados. E uma vez cadastrado, o usuário que já tiver pago tal taxa poderá ter acesso sempre que quizer, sem novo custo de acesso.

2) Prioridade de venda de veículos a cidadãos que tiveram seus veículos furtados. Se a pessoa teve um veículo furtado que não foi encontrado, a preferência em um leilão de veículos seria dela. Em um leilão de veículos, lances maiores somente poderiam ser dados caso não houvesse nenhuma pessoa cujo veículo tivesse sido roubado interessado em adquirir determinado veículo leiloado; Isso, além de acelerar a desocupação dos pátios dos detrans, serviria de compensação pelos prejuízos que a pessoa roubada teve.

3) Pena para quem roubar um veículo: Trabalho forçado na cadeia, para que o ganho de seu trabalho seja revertido para a recuperação do bem roubado (esta lei poderia ser aplicada a quaisquer roubos…).

4) Maior fiscalização de desmanches;

5) Obrigatoriedade da fábrica de automóveis a manter a produção de peças de reposição durante um prazo de pelo menos 15 anos (ou mais), pois atualmente este prazo é de apenas 5 anos.

Enfim, são medidas extremamente simples, mas que minimizaria os problemas causados pelo furto de veículos. E no mais, não mecheria na “infra-estrutura” montada hoje.

Por Clebermag

Anúncios

4 Respostas to “Roubo de Carros e Pátios dos detrans – Um caos que começa na impunidade, passa pelo descaso e termina no caos.”

  1. CARLOS Says:

    MEU AMIGO CLEBER, PARA RESOLVER O PROBLEMA DE ROUBO DE CARROS 2 AÇÕES SÃO NECESSÁRIAS:
    1- NA TRANSFERÊNCIA DE DOCUMENTAÇÕES DO VEÍCULO A PRESENÇA DO PROPRIETÁRIO. ISTO JÁ É EXIGIDO, MAS DE MANEIRA SIMPLES, TERIA TAMBÉM QUE SE EXIGIR MAIS DADOS DO PROPRIETÁRIO PARA SE ENIBIR FALSIFICAÇÕES COMO ALÉM DE CPF E CI, FOTO, IMPRESSÃO DIGITAL ETC. PODE PARECER MUITO, MAS UM AUTOMÓVEL NÃO É MEIO QUILO DE BATATAS, E SÓ QUEM É ROUBADO SABE O TAMANHO DO PREJUÍZO;
    2- NÃO DEVERIA EXISTIR MERCADO PARALELO, POIS TODOS SABEM QUE TAIS PEÇAS SÃO DE AUTOMÓVEIS ROUBADOS E DESMANCHADOS EM POUCAS HORAS.
    MAS ISSO CABE A NÓS, SE NÃO COMPRARMOS PEÇAS SEM NOTA FISCAL, ESTE MERCADO NÃO EXISTIRIA. ESTE MERCADO SÓ EXISTE PORQUE EXISTE DEMANDA.
    SOLUÇÕES SIMPLES PARA GRANDES PROBLEMAS.
    UM GRANDE ABRAÇO, INTÉ.

  2. renato Says:

    a constituiçao e clara(direito a segurança)entao o governo deveria pagar meu veiculo roubado,voce concorda,ja que pago todos meus impostos,de quem e a culpa ,exclusivamente do governo,mas nos (povo)nao temos força para cobrar deles,em vez de ficarem organizando ongs,que nao servem pra nada,deveriam fazer uma para ajudar a cobrar isso do nosso governo.

    • clebermag Says:

      Ainda na época do Orkut entrei em uma comunidade de pessoas que tiveram carros roubados. A ideia era juntar uma quantidade expressiva de pessoas para tentar fazer alguma manifestação ou mesmo criar uma lei que facilitasse o acesso à carros de pátios de detran à pessoas que tivessem seu veículo roubado. Criei um post para isso e pergunta quantas pessoas responderam (de um total de mais de 300 pessoas)? Até hoje, nenhuma. (e na época o Orkut ainda tinha muita expressão…)

    • clebermag Says:

      Renato, com certeza, algo deveria ser feito neste sentido. Só existe roubo de carros porque 1) Não há combate efetivo da criminalidade , 2) Existe conivência das pessoas que não estão nem aí para saber de onde vem o que compram. 3) Existem pessoas que estão se lixando para o estado. Então é isso, temos o cenário perfeito para impunidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: