Especificando o computador ideal para você

Especificando o computador certo para você.

Como eu trabalho com tecnologia, muita gente me pede ajuda para especificar um computador “bom”. Só que esta tarefa se torna complicada quando temos que considerar que existem várias possibilidades de configurações, e que estas configurações precisam caber no seu bolso. Para complicar ainda mais, as
especificações estão sempre mudando, e o que é bom hoje amanhã pode ser ultrapassado, e a pessoa pode ficar sem referência. E mais, nem sempre o que é bom para uma pessoa é bom para outra pessoa, visto que cada pessoa tem uma necessidade diferente em termos de computador.
Irei mostrar o que deve ser observado e buscarei orientar você a encontrar a melhor relação entre custo/benefício de forma que o computador se encaixe perfeitamente ao seu perfil e traga satisfação a você, que é a pessoa mais interessada no assunto.
Vou evitar citar marcas específicas, até porque, a medida que o tempo for passando, este filme ficará obsoleto, mas as informações passadas poderão valer ainda por muito tempo e citarei alguma marca por um exemplo de referência. Se você está vendo este filme muito tempo depois de agosto de 2013, ainda assim, vale a pena ver, lembrando que no final, você terá que buscar informações extras para saber o que é o mais atualizado no momento.

Para quem já tem um computador com Windows, o começo é mais fácil. Use uma ferramenta como o CPU-Z (ou outro programa, caso o Sistema operacional não seja Windows), que permita a você ver a especificação do sistema que você tem atualmente. Assim, sabendo o que você tem hoje e quais as configurações que o levam a ter a performance atual, fica fácil saber a performance esperada do novo
sistema, através da comparação dos parâmetros do processador, da memória RAM atual, da placa de vídeo do sistema e das características do sistema como um todo. Ah, e sempre use a versão atualizada do programa de análise de computador, assim, caso alguma nova tecnologia surgir, provavelmente a nova
versão indicará a ausência dela no seu sistema.

Se você não tem um computador, use um PC de um amigo e pergunte sobre as especificações do PC. Se ele não souber, sugira a ele que rode o CPU-Z. Assim, você terá uma idéia de qual especificação de PC irá te atender, ou pelo menos, o mínimo que o PC precisará ter para te atender.

Antes de partir para a especificação do computador, também precisamos bom definirmos o que precisamos na prática, e algumas perguntas precisam ser respondidas:

1) Eu preciso de mobilidade?
– Se sim, tenho que pensar em notebook, netbook, ultrabook ou tablet PC.
O preço será maior se comparado com o equivalente desktop, mas terei a mobilidade desejada. E há o que se considerar quanto à duração de bateria neste caso
– Se não preciso de mobilidade, posso pensar em desktop, o preço será menor se comparado com equivalente de igual performance para um Pc portátil, e a
performance tende a ser maior para uma mesma faixa de preço.

2) Quanto posso pagar ou quanto pretendo gastar com um PC?
– Definir um preço alvo nos faz evitar gastar mais do que o que temos
condições de pagar. Os preços começam a partir de 800 reais e podem
chegar a mais de 10.000,00 reais, portanto, não compensa comprar um
“top” se o retorno esperado não for proporcional ao que se pretende
gastar e se você não tem esse dinheiro.

3) Quais aplicativos precisarei usar? Eu preciso de performance?
E qual é o nível de performance que eu preciso?
– Pcs com alta performance costumam ser muito caros (e mais ainda se
forem portáteis), mas se a tarefa exige performance, o jeito é procurar
o que tem a melhor performance dentro da faixa de preço que podemos
pagar, lembrando que se eu não obedecer uma especificação mínima
que o aplicativo (ou tarefa a ser executada) exige, corre-se o risco
de ter um computador que simplesmente não permite fazer o que se
deseja. Uma boa pedida é pesquisar as especificações recomendadas
pelos fabricantes dos softwares que se deseja usar antes de procurar o computador.

4) Quais são as características secundárias que eu preciso?
Neste ponto devemos ter a resposta de perguntas como:
– Eu preciso de tela grande?
– Eu prefiro um computador mais compacto?
– Que tarefas eu irei fazer no micro que pretendo adquirir?
– É para edição de vídeo?
– É para edição de objetos 3D?
– Vou rodar jogos 3D?
– Vou usar basicamente para tarefas de escritório?
– Preciso de HD grande ou de HD rápido? ou os dois?
– E quais formas de conexão eu precisarei ter?

Se você preferir comprar um computador pronto para uso, poderá escolher a configuração que melhor atende. Se preferir montar um PC baseado na configuração escolhida (através de encomenda à uma empresa ou você mesmo desejar montar), ele servirá como orientação na escolha dos itens.

Com as respostas pessoais à estas perguntas, vamos agora traçar uma
linha de escolha.

– Se o preço é mandatório, escolho no mercado os PCs que tem preços alvos dentro da faixa que posso gastar, comparo os recursos disponibilizados por eles, e analiso as especificações dos componentes e periféricos de forma que atendam aos requisitos mínimos dos softwares a serem usados e ganhe o que tiver melhores parâmetros de performance. Vale lembrar que se na faixa de preço não houver um computador que atenda, é melhor não comprar e esperar juntar uma grana extra para comprar o computador.

– Se a performance é mandatória, especifico o que “o computador tem que ter” em termos de processador, memória, driver de vídeo, HDD e periféricos e procuro o mais em conta e que atenda aos requisitos especificados. Vale lembrar que aqui a idéia é ver o que pesa mais no orçamento, pois as vezes um item que tem, por exemplo, 80% da performance de outro item (que em alguns casos é uma queda irrelevante para o uso especificado) custa menos da metade do preço e atende bem, e é essa a idéia que se tem que ter em mente.

E sempre em caso de “empate técnico” (ou seja, uma variação de cerca de 10% no preço entre um e outro PC), ganha o que tem maior performance em algum parâmetro.

Vamos ver agora como avaliar a performance dos componentes que vem instalados nos PCs.

O processador

Quando avaliamos um processador precisamos avaliar suas características, que normalmente, quanto maior, melhor (exceto potência dissipada, que quanto menor, melhor, mas isso você só encontra se pesquisar à fundo. Via de regra geral, somente as especificações de performance são as divulgadas, e é o que eu irei considerar, então vamos lá:

– Quantos núcleos de processamento ele tem? 1 núcleo apenas, dual core (ou seja, dois núcleos), quad  core (4 núcleos), etc;
– Qual a velocidade de processamento (em Mhz ou GHz), lembrando que 1 Ghz equivale à 1000Mhz);
– Quanto de memória cache (L1, L2 e L3) ele tem, já que essa memória
cache trabalha com velocidades próxima ou igual à velocidade do
processador e sendo assim, quanto mais, melhor?
– Alguma tecnologia específica que o diferencie dos demais em determinadas
tarefas (hypertreading, virtualização, Video integrado ao processador, etc).
Nesse ponto Vale a pena pesquisar tanto os processadores da Intel quanto os da AMD. Os processadores da AMD costumam ter performance similar (ou terem uma performance ligeiramente menor), mas são mais baratos, e o uso de uma boa placa de vídeo pode compensar um processador mais modestos em tarefas menos pesadas.
– no caso de netbooks, estaremos falando de processadores mais modestos, mas da mesma forma existem diferença entre eles, tanto na frequência quanto na quantidade de memória cache, HDDs e etc, e isso deve ser considerado, já que a performance será baixa por natureza. (existem excessões à esta regra, mas aí podem ter certeza de que o preço é o diferencial!).

A memória Ram

Ao avaliar memória Ram, devemos considerar:
– A quantidade de memória disponível no sistema, pois quanto mais, melhor.
– A velocidade da memóra, uma vez que a velocidade de tráfego de dados
influencia na performance do micro. Por ex. Uma memória DDR533MHz
é mais lenta que uma memória DDR800MHz, e em alguns casos, é melhor
ter 4G de memória DDR1600Mh do que 6G de memória DDR 800Mhz, já que a velocidade da memória de 4G é mais rápida.
– Considere também a marca das memórias. Não irei citar marcas aqui,
entretanto, se você procurar comparatívos de performance na net, você
saberá facilmente quais são as melhores e mais confiáveis.

Especificações de vídeo

Em relação à vídeo, existem dois caminhos maiores a seguir: Videos on-board com memória compartilhada, ou placas de video separadas da placa mãe (no caso de Pc). No caso de notebooks, as placas de video serão quase sempre onboard, entretanto, o hardware de vídeo será separado ou não, e por isso elas podem ter memória compartilhada ou não. Drivers de vídeo com memória compartilhada costumam ter uma performance menor do que as placas com memória dedicada. Se a sua atividade exige performance de vídeo (como jogos 3D e edição de videos), prefira placas de vídeo com memória dedicadas em relação aos que usam placas onboard com memória compartilhada, pois a performance gráfica da placa com memória dedicada é normalmente maior. Pense em marcas como as Geforce e Radeon, pois elas fabricam chips de boa performance, e quase sempre fornecem upgrade para seus drivers de vídeo. Se o uso do computador é para escritório ou internet, (e jogos mais leves), é válido o uso de Pcs com placa onboard (também chamado de “video integrado”) ou com memória compartilhada, já que são naturalmente mais baratas. Neste caso, prefira computadores com mais memória, já que parte dela será compartilhada com o vídeo.
E Importante: Se você quer um PC para jogos, não tem jeito, você terá que pensar em uma placa de vídeo muito boa, e os notebooks adequados para jogos serão bem mais caros principalmente por causa da placa de vídeo.
É importante também comparar quanto a placa tem de memória de vídeo (Mb ou Gb), sua frequência (Mhz ou Ghz), a quantidade de bits do barramento de dados dela (32-64-128 bits), qual a potência de fonte que ela exige, qual a resolução máxima que ela alcança. qual é o poder de processamento de imagens (em vertices ou vertex) dela, a taxa de atualização de vídeo nos extremos de uso da placa (em frames por segundo – FPS), análise as saídas de vídeo que a placa oferece. Ela pode variar entre VGA (a mais
comum e básica), DVI (saída digital), HDMI (saída digital em alta definição) e S-Vídeo (super vídeo), além do sistema poder ter mais de uma saída de vídeo disponível. E neste caso, procure na internet alguma avaliação da placa, sempre tem quem fale bem ou mal, é a melhor forma de saber o que se está levando para casa.

Tela de toque (toutch screen)

O windows 8 é o sistema mais instalado em tablets PC, e ele foi desenhado para atender à este segmento, que naturalmente já vem com tela de touch screen, portanto, não há muito o que comentar, exceto que é bom conferir se o equipamento tem tela capacitiva ou resistiva. A tela resistiva é mais barata, mas pode te proporcionar uma experiência decepcionante, já em telas capacitivas, a performance do deslize será maior. Fique atento neste detalhe também.
Também existem modelos de monitores com este recurso, sendo assim, vale a pena conferir se você pensa em ter este recurso do mundo dos tablets no PC.

HD

Qualquer vendedor irá tentar empurrar sempre unm HD de alta capacidade,
normalmente a de maior capacidade que ele tiver. Só que nem sempre um HD grande determina performance. Se o foco é performance, é preferível Hdds com maior rotação bem como maior buffer. Ainda há o que se considerar em relação aos hdds SSDs que são na verdade módulos de memória não volátil muito mais rápidos e robustos que os Hdds, mas em contrapartida, bem mais caros.
Se realmente precisar economizar, vale a pena comprar micros com HDs menores. Primeiro porque você pode atualizar depois, e segundo, se ele encher rapidamente, irá forçar você a fazer backup. Hds muito grandes permitem guardar muitos dados (leia-se arquivos), mas se ele se estraga, tudo se perde. Reforçando, não há nada contra HDs grandes, mas se a grana está curta, é um item que pode ser mechido sem diminuir muito a performance do micro. Entretanto, apesar desta recomendação, se precisar desempatar um preço pelo HD, ganha o que é maior, tem mais memória de buffer e maior rotação/taxa de leitura de dados (Mb/s), e se você quer performance – e pode pagar por ela – prefira hdds que possua maior rotação de disco e maior memória de buffer.

Periféricos:

Neste caso, use o bom senso. No caso de Notebooks, é importante que ele tenha pelo menos 3 portas usb’s, do contrário, será necessário comprar um hub usb para ligar pendrivers, por exemplo, e atualmente, é importantíssimo que tenha uma entrada de USB3.0, já que é uma tendência de mercado. Módulo Bluetooth é interessante, mas se você não tem nenhum equipamento bluetooth, é um item interessante de se cortar da lista.Wifi, portas usb, saída para video HDMI, video e microfone imbutidos todo micro atual tem, portanto, não será um “opcional”. No caso de PCs e notebooks, um leitor de DVD é essencial, e vale reforçar: netbooks não tem entrada para leitor de DVD, você precisará adquirir um leitor externo ou usar um outro micro se precisar ler algum Backup em DVD ou se precisar instalar um programa em DVD-Rom.
Já um leitor de blueRay só será interessante se você não estiver preocupado com o preço e se a diferença entre um leitor/gravador de BlueRay for pequena.(menor que 50%).

Monitor

Em relação à monitores, também vale o bom-senso. Veja se o tamanho da tela te agrada, veja se a qualidade de imagem te satisfaz. A tela serve para exibir o resultado do processamento do PC, sendo assim, ele tem que te agradar. O melhor é considerar o que ainda sobrou no orçamento, até porque, se voce se sentir insatisfeito, você pode vendê-lo e comprar um melhor adiante. Para quem optar por comprar netbook, saiba que você pode instalar uma tela de resolução maior e assim, suprimir a limitação de tamanho de tela quando estiver em casa, por exemplo.

Sistema Operacional

Aqui vem o ponto onde eu sou mais conservador. Eu não sei quanto tempo
este video ficará no ar e será aplicável, mas hoje, (colocar data aqui) basicamente
temos 2 vertentes diferentes para PC: Ou vem com windows ou vem com Linux.
(lembrando que excluo desta discução PCs da apple, que são sistemas tão dedicados que basicamente não há escolha de itens, e o que vai definir qual modelo levar é o preço que você pode pagar)

Ambos os sistemas operacionais hoje em dia atendem ao básico, mas para lidar com linux, é bom estar preparado para aprender, uma vez que instalar softwares e atualizar o sistema exige um conhecimento de nível intermediário a avançado de informática, e uma boa quantidade de boa vontade de aprender a mecher no sistema. Se você se enquadra nesse perfil, a melhor pedida atualmente é instalar uma distribuição do Ubuntu, e neste caso, atualmente a versão 12.0 é uma das que uso que me surpreendeu pela facilidade de uso e de instalação.

Se a opção é a de usar Windows, minha recomendação simplificada é:

– Se você pretende usar o PC para coisas básicas, as versões até a home premium atendem bem.
– Se você pretende fazer algo mais avançado, use no mínimo a versão Professional. Nela você poderá instalar o pacote do windows XP mode (para instalar programas antigos) e poderá usar o windows movie maker, somente disponível nesta versão ou acima.
– Verifique se o computador onde você irá instalar suporta sistema operacional de 64 bits.
Se sim, prefira este, por ser uma tendência atual. Se não, fique atento, pois alguns programas somente rodam em sistemas de 64 bits.
– Instale e mantenha atualizado algum antivírus. Você pode usar o windows defender ou usar algum antivirus gratuíto ou pago, mas nada de ficar instalando mais de um antivírus. Isso gera mais problemas do que solução, além de diminuir muito a performance do PC.

E como este video ficará obsoleto rápido, pesquise em algum site especializado quais são os processadores, placas de vídeo, hdds, memórias, placas, enfim, as versões atuais dos itens citados.

Bom, Espero que este texto te ajude a ter uma idéia do
que considerar na hora de comprar um micro, e vale ressaltar que algumas dicas aqui vale para celular, tablet, e qualquer tipo de sistema microprocessado, portanto, se o padrão futuro mudar, você ainda saberá especificar seu computador corretamente.

Abraços, e deixem comentários

Anúncios

Uma resposta to “Especificando o computador ideal para você”

  1. gilberto gomes dos santos Says:

    e realmente temos que planejar qual a maquina que vai satisfazer e atender melhor nossas necessidades, e a que melhor atende nossa condição econômica e poder de compra.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: